Mulher é presa por participação em esquema de falsificação de diplomas

548

Priscila Mendonça de OliveiraO Grupo Especial de Repressão a Crimes Patrimoniais (Gepatri) de Luziânia, coordenados pelo delegado Daniel Marcelino, deflagrou, no dia 14 de junho, a operação “Pérgamo”. Durante as diligências, Priscila Mendonça de Oliveira, de 25 anos, foi presa em flagrante por integrar uma associação criminosa que atuava no Entorno Sul/Goiás na falsificação e venda de diplomas escolares.

Priscila foi localizada pelos policiais numa praça, em frente ao shopping, no centro de Luziânia, portando diversos diplomas falsificados. Eles constataram, ainda, que Priscila atuava em conjunto com um importante curso particular instalado em Luziânia, razão pela qual as investigações continuam, visando responsabilizar os outros integrantes da associação criminosa.

O delegado Daniel aponta o seguinte modus operandi da quadrilha:
a) Priscila utilizava um codinome falso, identificando-se como professora, ocasião em que oferecia, pelas redes sociais, a realização de um “supletivo rápido”;
b) os interessados entravam em contato com ela e, por R$ 600, negociavam a compra do diploma;
c) o certificado (diploma) era entregue em cinco dias aos solicitantes (sem que o curso fosse, de fato, realizado);
d) o ponto para entrega dos documentos falsos era estabelecido por Priscila, a qual geralmente escolhia praças públicas ou o shopping da cidade de Luziânia;
e) o esquema contava com a participação de um curso particular.