Polícia Civil de Goianira conclui inquérito sobre crime de estelionato

607
goianira
Jhone e Eyder

A Polícia Civil de Goianira, coordenada pelo delegado Ariel Martins, concluiu investigação sobre estelionatários que teriam falsificado documentações para vendas de lotes naquele município. A primeira denúncia surgiu em maio de 2013, quando uma das vítimas, ao procurar o cartório para quitação de dívidas referente a um lote de sua propriedade, descobriu que o imóvel havia sido vendido para outra pessoa.

Procurada, a Polícia Civil iniciou levantamentos a fim de identificar os autores do golpe. Ficou constatado que uma pessoa usando uma CNH com os mesmos dados do proprietário efetuou a transação e que o dinheiro da venda havia sido depositado em conta bancária em nome de Esterfane Caetano de Oliveira. Durante as investigações, a polícia descobriu que outro lote havia sido objeto de golpe semelhante, mas que a venda não havia se concretizado por coausa de dívidas tributárias.

A Polícia Civil chegou, então, a Esterfane, que seria responsável pela confecção dos documentos falsos e dona da conta onde o dinheiro da venda foi depositado. Por meio dela, a polícia identificou Jhone Vaz da Silva e a Eyder Divino Soares, que seriam parceiros da mulher no golpe. As vítimas, incluindo a tabeliã, reconheceram Jhone como a pessoa que se passou por procurador dos donos dos imóveis. Ficou comprovado ainda o depósito de R$ 45 mil na conta de Esterfane.

Jhone Vaz da Silva e Eyder Divino Soares foram indiciados pelas condutas dos crimes de estelionato, associação criminososa e falsa identidade. Já Esterfane Caetano de Oliveira foi indiciada por falsidade ideológica, associação criminosa e participação em estelionato. O inquérito policial foi remetido ao Poder Judiciário para os devidos fins de direito.