Polícia Civil investiga morte de recém-nascida dentro de casa em Goiatuba

307
delegado gustavo
Delegado Gustavo Pereira

A Polícia Civil investiga a morte de uma recém-nascida, com 17 dias de vida, na casa dos pais, em Goiatuba, no sul goiano. Em depoimento na delegacia, a mãe revelou que dormiu enquanto amamentava e, ao acordar, a filha já estava morta.

O pai da menina chegou a acionar o Corpo de Bombeiros, mas quando a equipe chegou a criança já estava morta, na quarta-feira (12). “Nossa guarnição, assim que chegou ao local, se deparou com a criança nos braços da tia, na porta da residência, verificamos os sinais vitais e não constatamos os mesmos e encaminhados a mesma ao hospital”, disse o bombeiro Vinícius Gratão Dalu.

No hospital, os médicos notificaram o óbito e acionaram a polícia, como é de praxe. Diretora da unidade de saúde, Solange Guimarães informou que apenas o Instituto Médico Legal vai apontar a causa da morte.

Responsável pelo caso, o delegado Gustavo Ferreira suspeita que a bebê se engasgou com o leite ou foi asfixiada pelo peso do corpo da mãe, que estava na mesma cama que a menina. “A Polícia Civil de Goiatuba instalou o inquérito policial para apurar o eventual crime de homicídio culposo pela negligência da mãe em não ter o dever de cuidado para com o filho”, afirma.

Ferreira vai colher depoimentos ao longo desta semana. “Vamos inquirir mãe, pai, avó materna, que morava no local, a enfermeira que recebeu o caso para a gente poder finalizar esse inquérito”, disse o delegado.

Caso a mãe seja condenada por homicídio culposo, quando não há a intenção de matar, ela pode ser condenada a três anos de prisão. No entanto, segundo o delegado, neste caso pode ser aplicado o perdão judicial, pois as consequências da perda da filha podem anular a punição da mãe.

Texto: G1
Foto: Reprodução/TV Anhanguera