Preso jovem que incendiou viatura da Polícia Civil em Niquelândia

433
incendio3
Foto: Euclides Oliveira, Diário do Norte

Policiais civis da Delegacia Municipal, do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (GENARC) e do Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) da Polícia Militar de Niquelândia, em esforço conjunto, imbuídos em uma ação que durou cerca de oito horas, efetuaram a prisão em flagrante, no dia 25 de outubro de 2015, de Walafe Alves da Silva, vulgo “Riquelme”, de 22 anos.

De acordo com as investigações, na madrugada anterior à prisão, o suspeito ateou fogo em uma viatura Ranger da Polícia Civil que estava estacionada em frente à Delegacia Municipal de Polícia. Após o crime, Walafe evadiu-se do local, abandonando uma garrafa com o resto da gasolina ao lado da viatura em chamas. Após o fogo ser controlado, iniciou-se a investigação policial a fim de identificar o autor do incêndio.

Imagens das câmeras de segurança da Delegacia Municipal possibilitaram à equipe identificar o suspeito, que foi prontamente reconhecido pelos investigadores. Já no período da tarde, Walafe foi detido, na praça do Bairro Santa Efigênia, enquanto se deslocava para sua casa. Na ocasião, ele confessou ter ateado fogo na viatura, bem como, confirmou que foi um dos autores de furtos ocorridos na cidade.

Na residência do suspeito, foram encontrados 12 relógios furtados, ainda com etiquetas, dois alicates de pressão, comumente utilizados por criminosos em furtos, além das roupas utilizadas tanto no incêndio na viatura quanto no furto ocorrido na semana anterior, na loja “Pé Kente”, no centro de Niquelândia. Walafe já vinha sendo investigado por ser o principal suspeito de cometer os dois últimos furtos na mesma loja.

A Polícia Civil acredita que Walafe tenha incendiado a viatura em uma tentativa de represália à investigação dos crimes. Além dos furtos pelos quais já era investigado, Walafe será indiciado pelo crime de incêndio, tipificado no artigo 250 do Código Penal, que estabelece a pena de três a seis anos de reclusão.