Suspeito de latrocínio ocorrido em Cristalina é preso em MG

731
Bruno Caldas Souto
Bruno Caldas entre agentes da PC

Policiais civis da Delegacia de Polícia de Cristalina prenderam, no dia 13 de novembro de 2015, Bruno Caldas Souto, de 26 anos, em cumprimento a um mandado de prisão, no qual ele consta como investigado pelo crime de latrocínio doloso consumado, cuja vítima foi Valdei Elias Machado, de 65 anos. O crime ocorreu no dia 23 de julho de 2015.

De acordo com as investigações, Bruno Caldas e outros dois coautores ficaram sabendo que na empresa Jovem Lar, localizada no centro de Cristalina, e onde Valdei trabalhava como gerente, havia dois cofres com dinheiro, razão pela qual decidiram praticar o assalto. Ao chegarem à empresa, Bruno e um dos coautores agrediram deliberadamente funcionários e clientes. Enquanto isso, o terceiro assaltante ficou do lado de fora do estabelecimento.

De acordo com testemunhas, Bruno era o mais agressivo dos assaltantes. Armado com um revólver, ele teria seguido Valdei, que saiu correndo em direção ao piso superior da loja assim que percebeu a ação dos bandidos. Bruno foi atrás de Valdei e, na sala-depósito, efetuou três disparos contra o gerente, que morreu no local. Após o crime, os três autores tomaram rumo ignorado.

Os policiais civis Willer e Alfredo, que investigaram o crime por quase quatro meses, conseguiram identificar os delinquentes. O delegado Cássius Zamó, titular da Delegacia de Cristalina, representou, então, pela prisão de todos os envolvidos. Bruno estava em Paracatu/MG e foi detido com o apoio da polícia mineira. Em depoimento, ele confessou que matou o idoso porque ele reagiu ao assalto.